Raiva: o que é, e como controlá-la

    
Foto:Composita


  A raiva é uma emoção natural que todos nós, em algum momento da vida, sentimos. No entanto, ela se torna um problema quando não é controlada, o que causa desequilíbrio e por conseguinte acaba por afetar todas as áreas da vida. 

     Essa emoção surge quando não conseguimos atingir um objetivo, satisfazer um desejo, quando nos sentimos injustiçados ou quando nossa autoestima é atacada. Pode ser um impulso que dure poucos segundos ou pode perdurar muito mais tempo. 

  Daniel Goleman afirma: "É importante ressaltar que o objetivo tem que ser o equilíbrio não a supressão da emoção, afinal cada sentimento tem seu valor e significado" e com a raiva não é diferente. Segundo ele "manter sob controle as emoções que nos afligem é fundamental para o bem-estar, os extremos - emoções que vêm de forma intensa e que permanecem em nós por muito tempo - minam nossa estabilidade."


Foto:Tumisu



Para que serve? Existem benefícios?

    Devemos levar em conta que a presença da raiva indica um conflito ou um perigo. O que nos obriga a refletir sobre o motivo e assim chegar aos problemas que precisam ser resolvidos. Nos dando assim a oportunidade de pensar sobre nossos próprios limites, rechaçando - se necessário - quem se aproxima deles e nos protegemos de intrusões indevidas. Além disso, ela gera a energia necessária para nos motivar a efetuar as modificações.

Foto:mohamed_hassan


Como lidar com ela:

- Primeiro é importante  tomar consciência da raiva com todos os seus indicadores, físicos e emocionais. Não negue o sentimento, assuma-o;

- Interrompa a cadeia de pensamentos furiosos que alimentam a raiva, mine as convicções que a abastecem; (sabe aqueles pensamentos que aparecem na nossa cabeça nessas situações e que só nos fazem ter mais raiva? Corte-os. Ficar ruminando sobre o assunto só piora e nos deixa cegos para as soluções).

- Analise e conteste as ideias que disparam o surto. A raiva pode ser interrompida se a informação que visa a esvaziá-la vier antes que se dê vazão a ela. O exato momento para deter esta escalada é no início.

- Afaste-se para esfriar a cabeça, a pessoa com raiva pode frear o ciclo crescente de pensamentos hostil, buscando distrações. Para então reassumir o controle de suas emoções.

- Reformule a maneira que você  percebe a situação. Pergunte a si mesmo: Essa raiva se justifica? Se você mesmo já não cometeu esse erro? Como estou interpretando as atitudes dessa pessoa? Há outras razões que justifique o comportamento dessa pessoa? E qual a melhor maneira de agir? Como vou me sentir depois de agir?

- Expresse o que sente tendo como base o respeito próprio e  o do outro.


Foto:Activedia


Duas técnicas para acalmar os sintomas físicos:

Respiração profunda: Ela permite que o organismo absorva mais oxigênio, diminuindo o ritmo cardíaco e evitando que a adrenalina chegue tão rapidamente à corrente sanguínea. Esta respiração é profunda por que envolve a área do estômago ou diafragma, e não o peito. Respire profundamente, usando a barriga, rítmica e lentamente.
Sempre que perceber uma situação de raiva, concentre-se na sua respiração e respire profundamente, essa atitude ajuda a diminuir a tensão, aproveite e controle a emoção, assim você conseguirá pensar com clareza.

Relaxamento muscular progressivo: Essa técnica envolve a contração e relaxamento sistemático dos principais grupos musculares do corpo. Essa técnica pode te ajudar a localizar as áreas que estão tensas ou presas, e seguidamente, relaxá-las. Tensione todo o corpo e segure uns segundos, depois solte. Faça isso algumas vezes.


Foto:ColiN00B


Conclusão:

    A raiva é uma emoção natural e dessa forma o mais comum é agirmos por instinto, sem pensar. Por isso o conhecimento e a reflexão são tão importantes na vida. São eles que nos dão a chave para mudar os comportamentos que nos causam sofrimento. A raiva, como toda a emoção, é poderosa o que nos dá a impressão de ser impossível controlá-la. 

      Mas na verdade se mudarmos nossa maneira de pensar no assunto logo no início, ela pode ser facilmente controlada. No entanto se ao contrário nos entregarmos à ela podemos perder completamente a razão, chegando a violência física. E como tudo na vida é uma escolha. 

   Segundo Goleman: "... é a proporção entre emoções positivas e negativas que determina a sensação de bem-estar. Muitas vezes temos pouco ou nenhum controle sobre quando somos arrebatados pela emoção e de qual emoção se trata. mas podemos decidir sobre quanto durará uma emoção."

Referências:

www.methodus.com.br/artigo/529/benefícios-da-raiva-html
(Revista Mente & cérebro por Thomas Hülshoff)
www.taisbedin.com.br/artigo/sentimento-de-raiva/
Caballo, V. E. Manual de avaliação e treinamento das habilidades sociais. São Paulo: Santos, 2014.
Goleman, Daniel - Inteligência Emocional. Rio de Janeiro: Editora Objetiva,1995.
Greenberger, Dennis - A mente vencendo o humor: mude como você se sente, mudando o modo como você pensa. Porto Alegre:Artmed,1999.
Imagens: Pixabay.com
4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Raiva, um sentimento que não nos faz bem. Mas quando chega, melhor não ignorá-la...Deixar que se mostre e nós, com calma, depois de colocar pra fora o que sentimos, esperar que ela se retire... Ótimo artigo! bjs, lindo dia, sem raivas,rs...É melhor! cvhica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Chica!
      Não é uma emoção fácil...mas com persistência vamos aprendendo a controlá-la.
      Beijos!

      Excluir
  2. Vivian,

    Gostei muito desse post.
    Em momentos de raiva, se alimentarmos os pensamentos haverá o encadeamento deles, o que aumentará a raiva e os resultados poderão ser péssimos - como muitas vezes vemos por aí. Por isso, a respiração profunda e o "contar até 10" são importantes, pois tiram o nosso foco da emoção negativa intensa.

    Muito boa a frase do Daniel Goleman que você colocou no final.

    Seu blog já está no meu blogroll!

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou, Rosana!
      A raiva não é um sentimento fácil, mas com persistência conseguimos aprender a lidar com ela.

      Muito obrigada!

      Excluir

Sua opinião é muito importante.
Obrigada por deixar um comentário!

Quer ser avisado quando tiver post novo? Inscreva seu email é grátis!